OPINIÃO

Pode tudo, menos cogitar a liberdade do presidente Lula

Pode tudo nesse Brasil de 1964, quer dizer, 2018. Pode rasgar Constituição, destituir uma presidente honesta para que uma quadrilha assuma. Tudo é permitido por “lei”, só não pode sequer deliberar uma possível liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o maior de todos os políticos, vivos e mortos, da história desta nação linda, mas infeliz.

Pode prender, arrebentar, matar jornalistas, homens, mulheres, crianças e até anciões.  É permitido instituir estado de exceção, fechar jornais, censurar músicas lindas, peças teatrais, pensamentos, livros e instituir um estado de terror que durou mais que duas eternas décadas, sem que nenhum dos criminosos, generais, asseclas, políticos coniventes, parte da imprensa canalha sofra qualquer punição. No máximo, um pedido tosco de desculpas ridículas dos Marinhos. Os criminosos mandatários, todos eles, desse passado recente de vergonha, se purgaram culpa foi na presença de Deus com a justiça. Essa mesma (in) justiça que só não permite a liberdade de Lula.

Estão  livres os assassinos da missionária americana Dorothy Stang, do seringueiro Chico Mendes, ambos defensores da floresta amazônica; estão soltos os filhotes de papais que queimaram o índio Galdino, assim como os mandantes, executantes de todos os assassinos de membros do MST, MTST, moradores de ruas,  indígenas e de trabalhadores, expulsos à bala de suas terras, assim como  tantos outros que lutaram pela defesa do meio ambiente e de um país rural mais igual. Os bandidos, todos, ou quase, zombam da lei de uma justiça que só não permite a soltura de Lula.

Estão livres em suas mansões milionárias, em suas viagens aos States os latifundiários, banqueiros, usineiros, agropecuaristas caloteiros com suas dívidas monstruosas, contraídas em empréstimos recebidos para enriquecer cada vez a custa do erário sem nada dar em troca ; suas dívidas vergonhosas perdoadas ou refinanciadas para serem pagas com prazos seculares sem qualquer acréscimo. Não tem problema zombar da lei os bandidos da bancada da bola, da bancada da bala, da bancada ruralista, dos banqueiros, dos planos de saúde, enfim, todas, fiquem à vontade, nunca teremos questionamentos, cobrança, permissão, é tudo livre, mas nem pensar em deixar livre o presidente Lula.

Abram os sites de celebridades. Eles estão lá! Os arquimilionários jogadores de futebol, sonegadores de sempre, zombando da lei, dando banana para os  fiscais e funcionários da Receita, assim como fazem os grandes empresários, banqueiros,  grupos de mídia como a poderosa Globo que viu sua dívida absurda de R$ 600 milhões desaparecer nas mãos de uma funcionária que ninguém nunca procurou encontrar. Uma lista enorme de sonegadores que, pasmem, tem como principal a Vale do Rio Doce, ex-estatal que FHC vendeu de graça aos gaviões. Tudo isso é legal, admitido, a lei não incomoda, não causa indignação na imprensa , manchetes, reuniões, comentários inflamados, nada, mas, aí de quem defender a soltura do presidente Lula.

Essa mesma justiça também não faz nada contra uma cambada de ladrões, 171, investidos na condição de pastores, que usam o nome de Deus para enganar, roubar, sonegar, tomar, principalmente, dos mais humildes. Os seus espetáculos dantescos, demoníacos de curas, exorcismo do diabo (no caso seria satanás se livrando de satanás) encenados por canastrões contratados com o intuito único de lesar os fiéis desesperados, desavisados, pobres ignorantes que não têm a quem recorrer, nada dessas atrocidades incomoda. Edir Macêdo, Valdomiro, R Soares, Malafaia, Feliciano, Malta e mais uma curriola de fascínoras , falsos emissários, profetas, canalhas, repulsivos, inomináveis corruptos estão soltos, livres, alguns até ministros do governo que vem, e seus crimes de lesa ordem perdoados pela mesma lei que, nem por milagre, permite brecha para a soltura do presidente Lula.

A lei dos escolhidos, dos que podem ficar  à vontade para traficar, ter ligação com um avião e 500 quilos de cocaína, licença do 007 para matar modelos, policiais, inimigos políticos, rivais; e pouco importa que também seja citado em mais de uma dezena de escândalos, com o nome encontrado, documentado, com contas descobertas em paraísos fiscais, personagem principal de várias delações, pego em gravação fazendo ameaças de morte ao primo!; mala de dinheiro carregada, não tem problema, nada que o preocupe, afinal, os amigos ministro do STF e juiz estão a postos para anular, sentar em cima do processo, arquivar, esquecer, não julgar, pois o que importa, o que conta tão somente é não deixar livre o nosso Lula da Silva.

Sabe o que mais? Você pode até ser presidente durante um período de oito anos e fazer o maior assalto que este país já sofreu desde seu descobrimento na privatização de estatais valiosas, crimes comprovados por provas documentais no Livro Privataria Tucana, publicada pelo jornalista Amauri Ribeiro Júnior. Sim, e mesmo assim continuar livre e com moral para mudar a lei eleitoral e comprar reeleição,  e ter seu especial “engavetador geral da união”, e ainda se dar ao luxo de manter uma amante na Europa (imprensa muda), promover a miséria e a fome, deixar o país em frangalhos, endividado, sucatear e desmontar a maior estatal (com planos de também vender depois), ter um apartamento de luxo em Paris, por quê não? Ele podia, e pode,  tudo com a conivência da imprensa que ainda o trata como arauto da moralidade, e da mesma Justiça que só não se admite encontrar um jeito de soltar o ex-presidente Lula.

A Justiça que pode sim forçar delações, armar todo um arsenal de falsas provas, com powerpoint (aquele do demente fanático)  e tudo, mas ignora solenemente e perdoa  os crimes da mulher de Cunha, não quer depoimento do mesmo Cunha, muito menos de Tacla Durán, se lixa para o que acontece na APAE, mas aí, por outro lado, grava e divulga conversa da presidenta da República, vaza informações seletas para a Globo (sempre ela), que conduz um ex-presidente coercitivamente, e depois volta a mudar de naipe e ignora um certo motorista sumido (adoecido, internado), perdoa, como se pudesse, os crimes de caixa dois de ministro, essa lei do vai e vem, do pode e não pode,  ó não tem qualquer flexibilidade com relação à prisão do ex-presidente Lula.

Por fim, essa mesma lei permite um repulsivo político, vergonha do Brasil em todo o mundo, gritar aos quatro cantos que vai matar, fuzilar, expulsar petistas, negros, índios, mulheres, LGBTS; que já agrediu colega mulher diante das câmaras, que tem como ídolo uma das figuras mais horrendas da história do Brasil, torturador infame, maldito crápula covarde coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, criminoso da humanidade que só se compara aos aliados de Adolph Hitler; esse político tem o aval dessa lei para, por meio de uma campanha de fake news com apoio da lama do lodo do empresariado de extrema direita, mancumunado com que existe de mais absurdo e atrasado da nossa religião e, absurdamente, se elegeu presidente do Brasil. Tudo isso aprovado, protegido, nunca questionado pela mesma lei que não sequer cogita a soltura do preso político Lula da Silva.

Por isso, fhcistas, serristas, alckmistas, aecistas (sebosos), bolsominions (fascistas repulsivos), vão todos aos quintos dos infernos, aos buracos negros dos umbrais, pois vou sempre estar aqui na trincheira defendendo a inocência do nosso Gandhi, Mandela, Martin Luther King, Madre Tereza, Betinho, Zumbi do Palmares, Abraham Lincoln, todos encarnados em Luiz Inácio Lula da Silva, herói amado do povo (de verdade) brasileiro. Preso, ele está livre, leve e solto em todos os corações de bondade do Brasil.

PS: Dedico esse texto ao meu amigo querido, soldado Figueirêdo, lutador destemido contra o fascismo, em defesa das minorias e dos Direitos Humanos, certamente, mais uma vítima desse Brasil sem lei.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Edmo Sinedino
Edmo Sinedino é jornalista, ex-jogador de futebol e escreve aos domingos