Principal

Potiguares fazem “Lulaço” no shopping de Flávio Rocha em Natal

Puxados pela flauta do artista potiguar Carlinhos Zens, centenas de manifestantes se reuniram terça-feira (25), no shopping Midway Mall, na Zona Sul de Natal, para pedir a soltura do ex-presidente Lula e mostrar apoio ao petista, que teve ontem mais um pedido de liberdade negado pelo Supremo Tribunal Federal. A votação do pedido de Habeas Corpus de Lula que cita o atual Ministro da Justiça Sérgio Moro foi adiada até o julgamento do mérito, mas não há nova data para acontecer.

O Midway Mall é o maior shopping de Natal, construído pela família do empresário Flávio Rocha, dono das lojas Riachuelo e reconhecidamente antipetista. Defensor ferrenho do estado mínimo, Rocha contou com benefícios bilionários para suas empresas, durante os governos Lula e Dilma, através de empréstimos junto ao BNDES e isenções fiscais.

Segundo o servidor público Fábio Henrique Lima, um dos participantes, a ação, mobilizada por um grupo no Whatsapp, reuniu pelo menos 500 pessoas no shopping, além da adesão dos lojistas.

“Lula foi preso sem provas, está mais do que comprovado, especialmente depois das mensagens vazadas de Moro. Foi tudo uma conspiração e infelizmente o Supremo fez parte disso. Estamos na rua e vamos continuar nas ruas pra libertar o companheiro Lula, que é inocente”, falou.

Também presente no ato, a vereadora Divaneide Basílio (PT) criticou duramente o processo da Lava Jato. Para ela, ir às ruas e ocupar espaços público é uma forma de esclarecer pras pessoas o que de fato tem acontecido no país.

“É a luta por justiça, Lula é um preso político. No debate em que ninguém solta a mãe de ninguém, a primeira mão que a gente está segurando é a mão de Lula. A gente está aqui para dizer para o presidente que essa farsa e grande armação pra acabar com a trajetória política de Lula e pra acabar com as políticas sociais no Brasil se trata de uma fraude que orquestrou um golpe e uma prisão indevida. Estamos aqui pra dizer pra Lula que nós sabemos dessa fraude e que estamos ao seu lado”, defendeu.

Mais de 500 pessoas participaram do Lulaço no maior shopping de Natal (foto: Mário Takeia)

Servidora pública da Universidade Federal do Rio Grande do Norte há 30 anos, Elisabeth Bedoia, natural de Currais Novos, também se juntou aos manifestantes. “Somos em todo 13 irmãos. Conseguimos fazer graduação por causa das políticas de Lula e estou aqui em defesa da liberdade dele. Ele está preso inocente, além de ter feito muito pelos pobres e principalmente pelos jovens”, disse.

Já Graça Araújo, deixou em casa o marido e o filho, que defendem a permanência do petista na prisão, e ajudou ao coro que gritava ‘Lula livre’ cercado de cartazes também a favor da liberdade do ex-presidente. “Eu quero Lula livre, a esperança não pode morrer. Lula foi quem mais se importou com a pobreza e a educação”, resumiu.

Depois de circular pelos corredores do shopping, descendo do terceiro piso, em frente ao Cinemark, à praça de alimentação do prédio, os manifestantes seguiram até o primeiro piso e se concentraram fora da estrutura, na avenida Salgado Filho. Professora da rede estadual de ensino, Marise Vasconcelos foi uma das participantes que permaneceu até o final.

“Tô aqui protestando contra a prisão de Lula, que foi injusta, com a corrupção de Sérgio Moro. É um absurdo contra a justiça e contra a lei um juiz trabalhando pra defender interesses. Nós queremos Lula livre! Não foi um processo justo. Como o Supremo permite? Não foi um julgamento, foi uma condenação”, desabafa.

Segundo a organização, outro ato em defesa do presidente deverá acontecer no próximo domingo (30), no Mercado da Redinha, a partir das 10h.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo