DEMOCRACIA

Pré-candidato ao Senado pelo PT, Alexandre Motta vê desgaste das oligarquias

O PT confirmou neste sábado (28) a indicação do médico Alexandre Motta como pré-candidato ao Senado. Assim, a chapa majoritária que concorre ao Governo do Estado encabeçada pela senadora Fátima Bezerra (PT) está fechada.

Além da petista, já estavam confirmados o presidente estadual do PC do B Antenor Roberto como candidato a vice-governador e a deputada federal Zenaide Maia, pré-candidata ao Senado.

A escolha de Alexandre Motta se deu por unanimidade após a retirada dos nomes, “em nome da unidade”, do ex-vereador Hugo Manso e do sindicalista José Rodrigues.

O Blog conversou com Alexandre Motta poucos dias antes da oficialização da pré-candidatura dele. O médico destacou o leque de apoios que construiu, além do desgaste dos candidatos das coligações que representam as oligarquias do Estado:

– Há um desgaste grande do lado de lá. Garibaldi não consegue andar na rua. Estão apostando em candidatos menores. Eu tinha me lançado à candidato a deputado federal, mas me questionaram dizendo que eu poderia cumprir a tarefa de Senador. A partir daí fizemos um documento, que teve mais de 1.200 adesões, professores das três universidades, médicos, trabalhadores de serviços, temos um leque amplo de apoios. O partido percebeu que havia um reclame de fora. E me lancei ao Senado em razão da minha indignação com o golpe e com o que estamos vivendo hoje no Brasil. Foi isso que me levou a ser candidato e é isso que me motiva. Podemos ter uma campanha exitosa. Nossa candidatura pode colar bem com a de Zenaide, e também com Fátima e Lula, que é um grande transferidor de votos.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *