TRABALHO

Pretos e pobres estão mais vulneráveis a trabalhos insalubres no RN, indica pesquisa do IBGE

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) de 2019, divulgada neste mês pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) indica que mais da metade dos residentes no Rio Grande do Norte que tem mais de 15 anos e trabalham estão sujeitos a riscos no ambiente laboral. Ao todo, são 796 mil pessoas expostas a fatores degradantes, sendo 560 mil homens e 236 mil mulheres.

Quando considerado o fator de raça, a pesquisa constata que a maioria das pessoas pretas entrevistadas, 69% afirmou estar sujeita a fatores de risco no trabalho.  Enquanto isso, a situação ocorre entre 54,2% dos pardos e 48% dos brancos.

Pessoas com baixa escolaridade estão mais vulneráveis a essas situações, indica o estudo. Já que 67% (354 mil) do grupo com trabalhadores sem instrução ou ensino fundamental incompleto indicaram lidar com esses fatores de risco no ambiente laboral. Enquanto isso, 35,8% (94 mil) do grupo com ensino superior completo responderam positivamente sobre a exposição a condições insalubres.

Quanto menor o nível de rendimento salarial no trabalho, maior o risco de se expor a situações, demonstra a PNS 2019. Enquanto 31,2% dos afetados recebem mais de cinco salários mínimos, o equivalente a 17 mil trabalhadores, outros 60,4% dos afetados recebiam entre uma quarta parte ou apenas metade de um salário, totalizando 194 mil pessoas.

A PNS considera como fatores de risco a exposição ou manuseio de substâncias químicas ou ao ruído e ao sol, além do manejo com resíduos sólidos e material radioativo, biológico e contato com poeira mineral.

Número de potiguares que trabalham à noite supera média nacional

De acordo com o levantamento do IBGE, em 2019, 14,1% dos potiguares (209 mil pessoas) trabalhavam no horário noturno em pelo menos uma de suas ocupações. Este percentual foi maior do que a média nacional, que é de 13,3% e ainda supera a média regional, de 11,9%.

Exposição ao cigarro no ambiente profissional

A PNS também traz informações sobre a incidência de pessoas fumando em ambientes de trabalho fechados e indica que 13,1% dos trabalhadores do RN já foram expostos à situação, o equivalente a 129 mil potiguares. A média, nesse aspecto, também é maior que a regional, de 10,8%, e brasileira, de 10,6%.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *