CIDADANIA

Primeiro detento a testar positivo para Covid-19 no RN é isolado em cela; SEAP afasta 14 agentes também infectados

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) confirmou o primeiro caso de Covid-19 entre detentos do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte. Até a manhã desta terça-feira (19), este é o único caso confirmado entre internos.

Segundo o titular da SEAP, Pedro Florêncio, o boletim médico de hoje (19) informava que o detento tem quadro estável, está consciente, não apresenta dispneia e tem tosse seca. O paciente se encontra isolado dentro da própria unidade prisional e tendo acesso à acompanhamento médico diário. O nome do apenado e o local onde cumpre pena não foram informados pela Secretaria para não gerar pânico entre familiares de detentos.

Os demais detentos que dividiam cela com o paciente também fizeram o teste, mas o resultado deu negativo.

De acordo com o Secretário de Administração Penitenciária, desde o início da pandemia todas as unidades prisionais têm tido higienização reforçada. “Fazemos diariamente a limpeza das áreas comuns nas celas, presos usam máscaras e tem tomado banho de sol por mais tempo. Colchões também passam por higienização e os internos estão sendo acompanhados pelas equipes médicas locais onde há unidades prisionais” disse Pedro Florêncio, em coletiva de imprensa nesta manhã.

De acordo com a pasta, não existem, até o momento, casos suspeitos do vírus entre detentos.

Pedro Florêncio afirmou que presos poderão ver familiares através de televisitas (foto: Elisa Elsie)

Além do primeiro caso entre presos, outros 14 servidores do sistema prisional estadual estão afastados por serem casos confirmados e outros 74 casos estão sob suspeita do novo coronavírus. “Esses funcionários são aqueles que apresentaram sintomas gripais ou tiveram contato com casos confirmados. O reflexo da Covid-19 no sistema prisional é o mesmo que na sociedade, não dava para pensar que o vírus não iria nos afetar. Quem pode levar o vírus para dentro do sistema são servidores das unidades, as únicas pessoas que configuram contato externo, já que as visitas estão suspensas”, afirmou o secretário.

Ainda segundo Florêncio, novos detentos passam por testes, higienização e ficam em celas isoladas de presos que cumprem pena há mais tempo. Encontros presenciais com advogados também estão suspensos e têm acontecido por meio de teleatendimento ou vídeo conferência. Já para contato com familiares, a SEAP tem trabalhado em um cadastro para instituir televisitas, ou seja, encontros virtuais entre parentes e internos.

Impossibilidade de isolamento

No sistema prisional do Rio Grande do Norte, a única maneira do Coronavírus não atingir os internos e internas seria a completa suspensão de contato com o mundo externo, pois cumprir isolamento é uma ação dificultada quando as penitenciárias locais tem uma taxa de ocupação significativa de 169,48%.

Os dados são do Relatório de Visitas Prisionais do Conselho Nacional do Ministério Público e datam de 2019. O estudo aponta ainda que existe um déficit de 4.288 vagas.

Com população de 3.508.832 habitantes, o Estado do Rio Grande do Norte configura o 16º contingente populacional dentre os Estados do Brasil ao passo que, em termos de população prisional, constitui a 18ª maior população de pessoas privadas de liberdade do país. Em 2019, o número chegou a 10.460 no total.

O Estado potiguar possui 11 cadeias públicas, 10 penitenciárias e um Hospital de custódia e tratamento psiquiátrico.

 

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Kamila Tuenia
Jornalista potiguar em formação pela UFRN, repórter e assessora de comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *