CULTURA

História em quadrinho feminista critica naturalização da sobrecarga das mulheres na pandemia

Anúncios

A história em quadrinhos com abordagem feminista “Família Ghee” estreou nesta terça-feira (1º) no Instagram @johannatds. Com linguagem predominante irônica, a tirinha aborda o feminismo em tempo de pandemia, faz reflexões sobre a disparidade da produtividade de mulheres e homens nesse período, além de criticar a desigualdade de gênero.

Ao todo, 12 episódios serão publicados, um a cada dia, às 11h, no Instagram. Uma das autoras é a artista potiguar Lara Ovídio, atualmente radicada no Rio de Janeiro. Além dela, também integram o time a cineasta Mykaela Plotkin, que mora na Cidade do México, Johanna Thomé de Souza, que vive em Paris. Juntas, elas formam o “Fúria Criativa”, nome pelo qual vão construindo novos trabalhos.

A ideia da narrativa surgiu a partir das pesquisas que revelaram que homens cientistas haviam aumentado a produtividade na pandemia. De acordo com Lara Ovídio, surgiu urgência de falar sobre o tema devido a sobrecarga das mulheres durante o isolamento social.

Em levantamento do projeto brasileiro Parent in Science, em resultados preliminares, 40% das mulheres sem filhos não concluíram seus artigos, contra 20% dos homens. Além disso, o estudo afirmou, também, que 52% das mulheres com filhos não concluíram seus artigos, contra 38% de homens.

“A produção com esse tema coloca em evidência uma coisa que não tem sido tratada, mas sim naturalizada, que é a sobrecarga (de trabalho) das mulheres. E isso é bastante grave. Em um sistema que fala que é assim e que a gente se contente. Mas a tirinha vem e mostra que será o inverso e as mulheres vão se identificar”, afirmou a artista.

Um estudo do IBGE publicado no início de agosto apontou que as mulheres que se dedicam aos afazeres domésticos e cuidado de pessoas não só continuam sendo as que mais realizam esse tipo de trabalho, como têm tido participação crescente, passando de uma taxa de 89,9%, em 2016, para 92,1%, em 2019.

“A maior taxa de realização de afazeres domésticos também pode ser efeito da crise do mercado de trabalho e da queda de renda das famílias, reduzindo as possibilidades de contratar empregada doméstica”, ponutou a analista do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Alessandra Scalioni Brito.

Além disso, Lara afirmou que o intuito é pensar sobre os impactos do feminismo tem passado e refletir sobre as possibilidades de resistência:

“Feminismo é um mundo anticapitalista mais igualitário em que pessoas tenham acessos, direitos, visibilidade e tenham possibilidades iguais. É um mundo contra o capitalismo”, explicou.

Produção

Lara Ovídio, Johanna Thomé de Souza e Mykaela Plotkin em reunião virtual para debater projeto foto: acervo pessoal)

Durante a produção da história, foram ouvidas histórias reais de pessoas próximas ao trio feminino que idealizou o projeto: Lara Ovídio, Johanna Thomé de Souza e Mykaela Plotkin.

Todo o processo criativo foi realizado por meio de reuniões online. As artistas possuem experiência no meio virtual. Juntas, criaram outros projetos mesmo morando em cidades diferentes: Lara mora no Rio de Janeiro, Mykaela, em Recife/PE, e Johanna, vive em Pithiviers, na França.

“Coletamos história de amigos e pessoas próximas, há uma frase que nos guiou durante o processo: “Não serei livre enquanto alguma mulher for prisioneira, mesmo que as correntes dela sejam diferentes das minhas”, de Audre Lorde”, conclui Lara.

Serviço

Lançamento da História em Quadrinhos “Familía Ghee”
Onde: Instagram da Johanna, @johannatds
Quando: Terça-feira, 01 de setembro.

Artigo anteriorPróximo artigo
Allan Almeida
Jornalista potiguar em formação pela UFRN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *