TRANSPARÊNCIA

Procon flagrou farmácia em Natal que reteve álcool em gel para não vender à população

Anúncios

A face mais desumana do capitalismo se apresenta em momentos de crise. O Procon do Rio Grande do Norte colocou uma equipe de fiscalização nas ruas para, entre outras denúncias, verificar as farmácias que estão cobrando preços abusivos de álcool gel, luvas e máscaras, itens recomendados pelos médicos para a prevenção do Coronavírus.

O coordenador geral do Procon estadual Thiago Silva afirmou que assim que o primeiro caso da doença no Rio Grande do Norte foi divulgado, em 12 de março, algumas farmácias passaram a reter os produtos com o intuito de subir o preço na sequência.

O Procon chegou a flagrar na sexta-feira passada – um dia após a divulgação do primeiro caso no Estado – uma farmácia de uma grande rede da capital que escondeu álcoo gel no depósito:

– Conseguimos identificar que algumas lojas fizeram o recolhimento do material e já orientamos a uma farmácia específica, que eu não vou citar o nome por questões éticas, que reteu o material na quinta-feira (12). Na sexta-feira (13) identificamos adentrando no estoque e foi orientado para que expusessem aquele material. Com isso veio o aumento abusivo dos preços”, disse.

Segundo Thiago Silva, os donos de farmácias alegam que o aumento de preços de alcoo gel, por exemplo, se deve ao reajuste cobrado pelos distribuidores.

– É todo um processo que o Procon precisa ver para identificar o erro. Às vezes o consumidor fica um pouco mais ansioso porque quer ver uma ação enérgica, mas precisa compreender também que o microempresário, o pequeno estabelecimento, é vítima da situação. Porque o distribuidor é quem tem o controle da mercadoria”, avalia.

 Remarcação de passagens

Apesar dos preços abusivos praticados na venda do alcool geral, o coordenadora-geral do Procon estadual afirma que a maior demanda vem da remarcação de passagens aéreas e pacotes de turismo. Em apenas duas horas no guichê do Procon do Via Direta, Silva contou entre 15 a 20 atendimentos ao público sobre essas duas denúncias:

– E a tendência é que aumente porque o problema está aumentando”, afirmou.

Qualquer consumidor que se sentir prejudicado na compra de um produto pode fazer a denúncia ao Procon por meio dos seguintes canais:

Whatsaap denúncia – (84) 98137-2242
Sede do Procon no Shopping Via Direta
Sede na SEMJIDH (av miguel castro, 1808 – Lagoa Nova)

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *