CIDADANIA

Professores denunciam que escolas particulares estão exigindo teste positivo para afastar profissionais com suspeita de covid-19

Escolas particulares da capital estariam exigindo atestado médico ou exame positivo de covid-19 para afastar professores e profissionais que trabalham nesses espaços e que apresentam sintomas suspeitos para a doença. O problema é que médicos que trabalham em unidades de urgência emitem, apenas, declaração de comparecimento, documento que não estaria sendo aceito por algumas escolas.

A denúncia foi feita por professores da rede particular de ensino que, por medo de represálias, preferiram não se identificar. No caso do teste do tipo Swab, aquele feito através da coleta de secreções com um cotonete grande, o resultado fica pronto em 48 horas. Já o RT-PCR, leva até três dias para ficar pronto, mas o exame só é feito mediante solicitação do médico. Diante da alta demanda nas unidades de saúde e do aumento de casos de covid-19 em todo o Rio Grande do Norte e, em especial, na região metropolitana de Natal, alguns professores não têm conseguido sequer realizar o teste para covid-19.

Manter professores com sintomas suspeitos de covid-19 em sala de aula aumenta o risco de transmissão do vírus. Em um caso mais grave um dos professores relata que, mesmo com atestado, foi obrigado a manter aulas no sistema remoto enquanto esperava o resultado do exame para covid. Ou seja, teve que continuar trabalhando, mesmo com atestado médico. O Sindicato das Escolas Particulares do Rio Grande do Norte afirmou que não tinha conhecimento desse tipo de informação e a orientação é de que as escolas suspendam as aulas em caso de professor com suspeita de covid-19.

De acordo com o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (Cremern-RN), as declarações de comparecimento emitidas nas unidades de urgência devem ser aceitas por empresas e escolas. No caso de recusa, os professores ou profissionais que passarem por esse tipo de problema podem denunciar o caso ao Ministério Público do Trabalho.

Em todo o Rio Grande do Norte, 321 colégios vão continuar funcionando normalmente sem necessidade de modificar seu cronograma de aulas, segundo o Sindicato das Escolas Particulares do estado com base no decreto mais recente emitido pelo Governo do Estado. Durante dez dias, as aulas da Educação infantil e dos Anos Iniciais até o 5º ano serão híbridas e presenciais, no caso de haver poucos alunos.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *