DEMOCRACIA

Protestos no Chile levam final da Libertadores para Lima, no Peru

Anúncios

A ameaça de uma supermanifestação em Santiago, no Chile, convocada pelos grupos que exigem a renúncia do presidente do país Sebástian Piñera levou a Conmembol a transferir o palco da final da Copa Libertadores da América, que será disputada entre Flamengo x River Plate. A partida será no estádio Monumental, em Lima, no Peru. O novo palco tem capacidade para 80 mil pessoas e é o segundo maior estádio da América do Sul. A data da partida permanece a mesma: 23 de novembro (sábado), às 16h.

A decisão sobre a mudança saiu depois de uma reunião que durou 6 horas e da qual participaram os presidentes do Flamengo, Rodolfo Landim, e do River Plate, Rodolfo D’Onofrio. Também estavam no encontro os presidentes da CBF, Rogério Caboclo, e da AFA, Claudio Tapia.

A própria prefeitura de Santiago já tinha sinalizado que não haveria condições do jogo ser realizado na capital chilena. O campeonato nacional está paralisado há três semanas. Um amistoso entre Chile x Bolívia que seria realizado dia 15 de novembro já havia sido cancelado.

“A escolha do novo palco se apoia no oferecimento do governo do Peru, nas garantias de segurança. A decisão foi um consenso com os presidentes de Flamengo e River Plate, das confederações da Argentina, Brasil e Chile, e dessa forma se manteve a política de realizar as finais únicas em diferentes países”, escreveu a Conmebol, em nota oficial.

Anúncios

Protestos

Os protestos no Chile começaram em 14 de outubro após o governo anunciar um aumento equivalente a 16 centavos de real no preço do metrô. Após uma semana de quebra-quebra Piñera voltou atrás, revogou o reajuste e anunciou a demissão de todos os ministros do governo, mas os manifestantes não recuaram.

O preço da tarifa do metrô foi apenas o estopim dos protestos, que evoluíram para exigências e mudanças na educação, saúde, sistema de aposentadoria e até na Constituição.

A polícia tem aumentado a repressão nas ruas. Nos últimos dias, mais de 1.300 manifestantes foram atendidos em hospitais, sendo mais de 140 com ferimentos nos olhos. Mais de 9 mil pessoas já foram presas no Chile.

Confira nota da Conmembol

Novas circunstâncias de força maior e ordem pública, analisadas e avaliadas com prudência, considerando a segurança dos jogadores, público e das delegações, motivaram a decisão de levar a final da Copa Conmebol Libertadores 2019 a Lima, Peru, e manter a data inicial de 23 de novembro.

A escolha do novo palco se apoia no oferecimento do governo do Peru, nas garantias de segurança. A decisão foi um consenso com os presidentes de Flamengo e River Plate, das confederações da Argentina, Brasil e Chile, e dessa forma se manteve a política de realizar as finais únicas em diferentes países.

A Conmebol agradece muito ao governo do Chile e aos diversos órgãos públicos a ativa colaboração para a correta organização da final única da Libertadores 2019. Desejamos ao povo chileno e a suas autoridades paz e boa vontade.

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *