DEMOCRACIA

PT classifica de “perseguição a Lula” operação do MPE que apreendeu panfletos no RN

Mesmo preso em Curitiba desde 7 de abril, o ex-presidente Lula volta a ser o foco central de uma operação do Ministério Público Eleitoral. Diretórios e comitês de campanha do PT em pelo menos três estados do país foram alvo nesta sexta-feira (28) de mandados de busca e apreensão. Membros do MPE e agentes da polícia militar procuravam material da campanha petista apresentando Lula como o candidato do PT à presidência da República.

Desde 11 de setembro, o candidato oficial do PT ao Palácio do Planalto é o ex-ministro da Educação Fernando Haddad. Ele substituiu Lula na cabeça da chapa depois que o ex-presidente teve o registro cassado pela Justiça Eleitoral.

No Rio Grande do Norte, diretórios e comitês do PT em Natal e Mossoró foram alvo dos policiais. O escritório da senadora e candidata do PT ao Governo do Estado Fátima Bezerra foi um dos locais onde mandados foram cumpridos. Em nota, o MPE afirma que foram apreendidos 130 mil impressos irregulares, entre panfletos e santinhos, com a figura do ex-presidente Lula como candidato.

O PT declarou que só produziu e distribuiu material com Lula como candidato à presidência até a Justiça Eleitoral cassar o registro da candidatura dele. Desde então, segundo um comunicado divulgado pela sigla, só foram impressos materiais com Fernando Haddad como candidato à presidente.

A candidata Fátima Bezerra destacou, por meio de sua assessoria, a perseguição ao ex-presidente Lula.

– Nosso partido e nossa campanha cumprem rigorosamente a legislação e as regras estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral e nunca distribuímos nenhum material irregular. A questão é que a perseguição ao presidente Lula continua. Não basta tirá-lo da disputa, querem também tirar todo o capital político que ele representa. Mas não tem problema não. Mais panfleto ou menos panfleto não vai fazer diferença. Somos milhões de Lulas que vamos votar 13 neste domingo”.

Policiais e membros do MPE também cumpriram mandados de busca e apreensão nos comitês do deputado estadual Fernando Mineiro e da vereadora Natália Bonavides, ambos candidatos à Câmara Federal, mas nenhum material irregular foi encontrado.

Mineiro e Natália divulgaram notas reafirmando que seguem as regras eleitorais e, assim como Fátima, destacaram a perseguição ao presidente Lula.

Operações semelhantes ocorreram nos estados da Bahia e Minas Gerais.

O Partido dos Trabalhadores no RN soltou uma nota, atribuída à militância, classificando o episódio como “perseguição política às candidaturas de Fátima, Alexandre e Zenaide”. Para a sigla, “querem tirar de Lula o direito de apoiar candidaturas na eleição do RN”.

A nota também chamou a atenção para a operação “com força policial desproporcional para uma apreensão de panfletos”.

– A polícia do RN entrou hoje em sedes e comitês do PT em Natal e Mossoró e recolheu materiais de campanha do PT que traziam a figura do ex-presidente Lula como apoiador de Fátima Bezerra e candidatos ao parlamento, que obedecem rigorosamente aos padrões autorizados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Em nota, Fátima nega irregularidade e reafirma que candidato à presidente do PT é Fernando Haddad

A respeito da diligência executada na data de hoje em uma das sedes do Partido dos Trabalhadores (PT) e em outros endereços inerentes às candidaturas da coligação formada pelo partido, a assessoria jurídica da candidata Fátima Bezerra vem esclarecer ao público:

  1. A medida foi requerida e executada com o intuito de localizar materiais de propaganda que apresentassem o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato a Presidente da República, devido a sua substituição pelo candidato Fernando Haddad ocorrida no último dia 11 de setembro.
  2. A eventual existência de materiais de propaganda contendo menção ao ex-Presidente Lula como o candidato do Partido dos Trabalhadores a Presidente da República deve-se justamente ao período em que a candidatura estava oficializada perante a Justiça Eleitoral.
  3. O Partido dos Trabalhadores, inclusive através da propaganda eleitoral da candidata Fátima Bezerra, já anunciou de forma massiva a candidatura de Fernando Haddad, inexistindo divulgação atual da candidatura do ex-Presidente Lula.
  4. Não há nenhuma irregularidade na campanha da candidata Fátima Bezerra, que respeita mas lamenta a atuação do Ministério Público e da Justiça Eleitoral, por lançarem mão de medida desproporcional e desnecessária em virtude de situação que já estava sendo administrada em outro processo com toda transparência.
  5. A assessoria jurídica da candidata Fátima Bezerra reitera o atendimento à todas as normas que regem o processo eleitoral, afirma que nenhuma conduta irregular fora praticada e externa sua confiança na Justiça.
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *