CIDADANIA

Quase metade dos presos que participaram do Enem foram aprovados no RN

Anúncios

O Exame Nacional do Ensino Médio teve um sabor de recomeço para um grupo de aprovados. De acordo com a secretaria de Estado de Administração Penitenciária, 174 presos que fizeram o Enem atingiram os 450 pontos e não zeraram a redação, critérios para participar do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

O número corresponde a 47,5% dos 366 apenados que fizeram as provas em 15 unidades prisionais do Rio Grande do Norte.

O exame realizado pelos presos é semelhante ao tradicional, mas recebe o nome de Enem para Pessoas Privadas de Liberdade.

Os alunos responderam perguntas das disciplinas Linguagens, Códigos e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Ciências Humanas e suas Tecnologias, além da Redação.

Os apenados já sentenciados têm o direito de se inscrever em cursos à distância como forma de reduzir a pena. Para cada três dias de trabalho ou estudo, conta um dia a menos na condenação.

A agência Saiba Mais solicitou o comparativo com anos anteriores e também os aprovados por unidade prisional. No entanto, a assessoria de comunicação da Seap informou que não dispunha dos dados.

Alguns presos foram além da aprovação no Enem. No presídio de Ceará-mirim, 11 presos também conseguiram, através do Programa Universidade para Todos (Prouni), bolsas integrais ou meia-bolsa para cursar graduação em alguma faculdade privada do Estado.

Anúncios

Coordenador pedagógico do Enem e chefe de disciplina da cadeia pública de Ceará-mirim, Walber Bruno da Silva Albuquerque comemora o resultado como orgulho:

– É motivo para comemorar na unidade, foi uma quantidade expressiva de alunos, 45% das pessoas que realizaram a prova. Nos surpreendemos, mas isso é fruto do trabalho de ressocialização da unidade. Ano passado conseguimos fazer alguns aulões aqui trazendo professores renomados da cidade, como Kokinho e outros, e mostramos o mínimo que a ressocialização pode fazer com o apenado”, contou.

Como o Sisu ainda não foi aberto, não é possível saber os cursos que os apenados irão realizar.

Anúncios
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *