DEMOCRACIA

Rachada, oposição bolsonarista no RN isola Fábio Faria e lança Benes Leocádio para enfrentar Fátima Bezerra em 2022

Os sinais eram claros. Quando o presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza e o prefeito de Natal Álvaro Dias, ambos do PSDB, anunciaram, num intervalo de uma semana, que apoiariam o ministro Rogério Marinho numa eventual disputa para o Senado, o recado estava dado: não há espaço para Fábio Faria (PSD) na oposição.

O ministro das Comunicações que ganhou o cargo por ser genro de Sílvio Santos, segundo o próprio presidente Jair Bolsonaro, chegou a ensaiar um discurso de conciliação tentando convencer a opinião pública de que não havia disputa entre ele e Marinho. Mas fracassou.

Na terça-feira (13), em entrevista a uma rádio local, Rogério Marinho não só confirmou candidatura ao Senado como lançou para o Governo do Estado o ex-presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte, deputado federal Benes Leocádio (Republicanos). Fábio Faria sequer foi consultado.

Diálogos na capital e interior já começaram, mas oficialização da pré-candidatura ainda será confirmada.

Numa reação tímida, com ajuda de blogs e sites aliados, o ministro das Comunicações ameaçou lançar o prefeito de Ceará-mirim Júlio César (PSD) ao Governo, mas não convenceu nem a própria base.

Nesta sexta-feira (16), em entrevista ao jornal Tribuna do Norte, Leocádio confirmou a pré-candidatura e disse que já iniciou as conversas com os partidos da base de apoio a Jair Bolsonaro. Ele não citou o nome de Rogério Marinho como candidato ao Senado, mas é na companhia do ministro do Desenvolvimento Regional que o deputado tem comparecido a reuniões, almoços e jantares políticos.

– Tomada essa decisão vamos procurar todos os segmentos partidários – MDB, PL, PSDB, Progressistas e os partidos que já têm sintonia com a base federal, da qual faço parte, que a gente tenha um projeto unificado, como o PSL e Patriotas”, disse Benes, antes de completar:

– Daqui para frente é diálogo, convencimento daqueles que entenderem que a gente precisa de um projeto alternativo para o Rio Grande do Norte, e se naturalmente entenderem que há vontade, principalmente das bases em mudanças do que está posto, serei oposição para esse conjunto de entendimento, porque o principal fator é definir um projeto para o Estado e ouvir o sentimento das ruas e das pessoas que vão decidir em 2022”, disse.

Outro forte indício do isolamento de Fábio Faria foi a presença do deputado federal Beto Rosado (PP), num almoço realizado quinta-feira (15), na casa do vereador de Natal Aroldo Alves (PSDB). Desde que o presidente do PSD Gilberto Kassab anunciou o desembarque do governo Bolsonaro, Faria articula mudança para o PP, presidido no Rio Grande do Norte por Betinho Rosado, pai de Beto, o deputado.

Ou seja, o líder do futuro partido de Fábio emite sinais de que apoiará Rogério Marinho, embora não haja declaração oficial nesse sentido.

Em suas redes sociais, Fábio Faria não fala sobre política estadual, a não ser para ofender a governadora Fátima Bezerra (PT). O ministro também não mora no Rio Grande do Norte, tendo residência fixa em São Paulo, onde vive com a esposa e os filhos.

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *