CIDADANIA

ReforAmar: projeto colaborativo reforma casas de famílias carentes na periferia de Natal

Quando era criança, Fernanda Silmara não gostava de chuva. Apesar de aliviar o calor de Natal e até ser época de brincadeiras na rua para muitos, o período chuvoso lembrava a então menina da quantidade de goteiras do teto de casa. Para ela, faltava aspecto de lar no imóvel feito de taipa e tijolo branco com piso de cimento queimado. Anos depois, com a ajuda de um tio, conseguiu fazer melhorias na estrutura que transformaram também a vida dela.

Durante a graduação em engenharia civil, Fernanda decidiu que precisava levar essa sensação para outras famílias que passavam pelo mesmo problema. Reuniu amigos em torno da ideia e assim nasceu o ReforAmar, projeto que virou ONG e reforma casas de famílias pobres da capital potiguar gratuitamente.

“Um dia, eu cheguei da aula, na minha casa, e o telhado não tinha nenhuma goteira, e tinha piso. E esse momento foi muito, muito importante, porque eu senti aquela transformação, sabe? De, caramba, eu cheguei da escola, mas não estou com medo, não estou insegura, estou me sentindo num lar, eu tô muito bem. Esse momento foi muito marcante pra mim e foi daí que senti que precisava multiplicar isso”, lembra a engenheira e fundadora do projeto.

Criado em 2018, o ReforAmar já beneficiou uma dezena de imóveis pertencentes a pessoas que não têm condições de arcar com os custos de uma reforma em Natal. Atualmente, a ONG busca doações para realizar a 11º obra em uma casa de 60m² pertencente a uma aposentada de 66 anos que vive com a família no bairro Dix-Sept Rosado, na zona Oeste da capital potiguar.

A residência foi herdada pelas duas mulheres e nunca passou por restauração. Nas imagens divulgadas pelo projeto, é possível constatar rachaduras, infiltrações, buracos no piso, fiação desgastada e, de acordo com a avaliação técnica da ReforAmar, há risco de desabamento do imóvel.

 

Além desse trabalho, a ONG também está atuando numa ação emergencial. Neste caso, os voluntários ficaram responsáveis pela obra enquanto o digital influencer Leandro Pessoa promove a arrecadação de recursos por meio da conta dele no Instagram (@leandropessoaa). Através da parceria, será reformada a casa de uma aposentada que vive com os netos num imóvel deteriorado e que foi encontrada pedindo dinheiro na rua.

“Fui falando com alguns amigos, professores, pra gente criar o projeto. Algumas pessoas não queriam acreditar porque reforma é um custo enorme, né? E um planejamento também. Só que eu sabia da importância de fazer as reformas para as pessoas que precisam. Então, quatro amigos toparam e nós começamos. A primeira ação foi basicamente uma pintura. Publicamos nas redes sociais e alguns amigos viram que, realmente, dava certo”, conta Fernanda sobre o início da ReforAmar.

Atualmente, a ONG conta com 150 voluntários e já realizou dez ações em Natal, atendendo a famílias dos bairros Alecrim (quatro ações), Quintas, Dix-Sept Rosado, Lagoa Nova, Neópolis, Lagoa Seca e Candelária.

O Instagram é a principal plataforma de contato e divulgação do projeto. É por meio da página @reforamar_ que se pode indicar imóveis a serem beneficiados, buscar dados para realizar doações são e também onde as ações realizadas são divulgadas. Atualmente, a ReforAmar dispõe de um site no qual também é possível fazer a indicação de um lar a ser reformado ou habilitar-se como voluntário.

É possível colaborar com as ações de diversas formas: voluntários podem atuar nas obras, ajudar na organização, doar móveis ou materiais de construção e valores em dinheiro.

“O recurso vem pelos nossos seguidores mesmo, tem algumas empresas pequenas que até ajudam, mas a maior parte nós conseguimos com os seguidores, tanto doando materiais de construção, material que sobrou de obra, um sofá, cama, porta… E o morador não arca com nenhum custo. A família só tem que sair de casa quando vamos fazer a reforma. Normalmente, eles vão se hospedar com algum familiar“, explica Silmara.

Para o vendedor Daniel Sales, 25, a reforma foi uma transformação de vida. A casa de três cômodos do bairro Alecrim passou tanto por melhorias estruturais como recebeu móveis novos. Uma publicação na página da ReforAmar no Instagram revela que o imóvel passou pela sétima ação do projeto, mas foi a primeira residência a ser completamente reformada.

A casa do vendedor Daniel Sales foi a primeira a passar por transformação completa pela ReforAmar. Foto: Cedido.

“O ReforAmar foi um projeto que mudou minha vida. A casa da minha mãe era bem feia e nós nunca tivemos condições ajeitar porque o dinheiro sempre foi pouco, só dava para comer. Nossa casa era uma das mais feias aqui do bairro, toda cheia de rachaduras, o teto caindo… Quando chovia, muitas vezes eu acordava com a água das goteiras escorrendo no meu rosto. Hoje, minha casa é linda graças ao projeto. Todo mundo que passa aqui na frente olha pra cá porque parece uma casa de bonecas”, conta Daniel que vive com a mãe, Marli Sales, 55.

 

Além de imóveis residenciais, o projeto já atuou na melhoria de um lar de idosos e duas instituições sem fins lucrativos de educação infantil. Durante a pandemia, a ONG também tem recebido doações de alimentos e realizado a entrega de cestas básicas a famílias carentes de Natal. Segundo Fernanda, a meta é expandir e realizar ações também fora da capital. Mas, para isso, ainda é preciso buscar mais parcerias.

“Ter um lar não é só ter uma casa bonita. É ter um ambiente seguro até para o desenvolvimento pessoal da pessoa é importante”.

 

Rose Serafim é repórter do Programa de Diversidade nas Redações realizado pela Énois – Laboratório de Jornalismo, com o apoio do Google News Initiative”.

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *