TRABALHO

Região Metropolitana de Natal volta a ter mais pacientes de covid-19 na fila de espera do que leitos disponíveis

Na tarde desta sexta (7), 20 pacientes com covid-19 estão na fila de espera por um leito crítico (semi-intensivo e UTI) para internação na região metropolitana de Natal. No entanto, o sistema de Regulação do Lais/UFRN aponta a existência de apenas 16 leitos disponíveis.

A situação é um pouco mais confortável na região Oeste, que conta com nove leitos disponíveis e apenas um paciente na fila de espera. No geral, o Rio Grande do Norte está com 25 leitos críticos disponíveis e 21 pacientes aguardando vaga para internação.

Nesta quinta (6), 20 pacientes com covid-19 internados em leitos críticos morreram e nove tiveram alta. Dentre os leitos clínicos, onde ficam os casos menos graves, 39 pacientes tiveram alta e puderam voltar pra casa. Dos 26 hospitais com leitos para pacientes de covid em estado grave no Rio Grande do Norte, 16 estão com 100% de ocupação e outros seis estão com 90% ou de seus leitos ocupados.

No Seridó, não há mais vagas para pacientes graves da ocvid-19, na região metropolitana de Natal a taxa de ocupação está em 93% e chega a 91% na região Oeste. No geral, o Rio Grande do Norte está com 93% de seus leitos críticos ocupados. Até o momento, 746 pessoas morreram na fila de espera por um leito covid-19 para pacientes graves.

   

Centros Covid-19 de Natal funcionarão apenas durante a semana

Os três Centros de Atendimento para Enfrentamento da Covid-19 em Natal localizados no Ginásio Nélio Dias, no Palácio dos Esportes e no Cemure, estão com atendimento suspenso nos finais de semana e passarão a funcionar apenas durante a semana, de segunda a sexta-feira, das 08h às 16h.

Nos Centros são feitos atendimentos médicos de pacientes suspeitos para a covid-19, com consultas, entrega de medicamentos e realização de exames no caso dos pacientes que apresentarem sintomas leves do coronavírus, como tosse, febre, dor de cabeça ou perda de olfato e paladar.

Recentemente a Cooperativa Médica teve dificuldade em completar a escala de plantão dos médicos depois da Prefeitura de Natal reduzir em 50% o valor pago a esses profissionais. No entanto, os médicos contratados por meio da Cooperativa e que atuam nos Centros Covid-19 estavam ganhando mais do que os profissionais que trabalham nos hospitais e UTI’s. O Secretário de Saúde, George Antunes, explicou que os salários mais altos foram oferecidos no início para tornar a oferta mais atraente e que a redução tem o objetivo de igualar os salários dos médicos que atuam nos Centros e nos hospitais da capital.

Enquanto desde julho de 2020 os médicos cooperados recebiam R$ 1 mil para trabalhar quatro horas nos Centros de Atendimento para pacientes com covid-19, o equivalente a R$ 250 por hora, os médicos de porta que atuam nas emergências e UTI’s recebiam R$ 2.000,00 reais pelo plantão de 12 horas. Com a redução da Prefeitura, ficou definido o valor de R$ 133,33 por hora.

Foto do Centro de Atendimento à covid-19 montado no Ginásio Nélio Dias I Imagem: reprodução redes sociais
Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *