DEMOCRACIA

Rejeição do eleitor à política deve aumentar nas eleições de 2018, prevê sociólogo.

O cientista social e professor da UFRN Homero Costa acredita que a rejeição do eleitor à política deve aumentar nas eleições de outubro.

Ele lembrou nesta segunda-feira (23), durante o programa Grandes Temas, exibido pela TV Universitária, que as eleições de 2014 e 2016 já demonstraram a descrença da população em relação à escolha dos representantes pela via eleitoral.

Homero Costa citou os altos índices de votos brancos, nulos e abstenções registrados nos pleitos anteriores.

Em 2014, por exemplo, esse segmento superou a votação do então candidato Robinson Faria (PSD) no 1 turno, no qual foi o segundo colocado.

Naquela eleição, o Rio Grande do Norte foi o primeiro estado do país no ranking de votos nulos, brancos e abstenções.

O pleito de 2016 também ficou marcado, em nível nacional, pela rejeição dos eleitores.

Em 22 das 27 capitais do país, os votos brancos, nulos e abstenções foram maiores que a quantidade de votos dos candidatos mais votados no primeiro turno.

E em 10 capitais, maior que o primeiro lugar no segundo turno.

– Não há nada que indique que essa rejeição vá diminuir.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *