OPINIÃO

Resoluções para o ano novo em relação à Internet e redes sociais

Como reza a tradição, farei neste segundo dia de 2019  minhas Resoluções de Ano Novo, embora tradição igual (minha e a de quase todo mundo) seja a de não cumprí-las. Não importa. Fazer a lista de decisões para o ano acaba sendo mais uma forma de manifestarmos, para nós mesmos ou publicamente, a visão que temos do mundo, igualmente de nós mesmos e de como queremos corrigir nossos defeitos ou melhorar o Mundo, pelo menos em alguns aspectos deles.

Seguem aqui, portanto, minhas dez Resoluções para o ano de 2019. Se vou conseguir realizá-las, são outros quinhentos.

1 – Manter a decisão tomada de 2017 para 2018 – e que foi cumprida – que é a de evitar ao máximo brigas inúteis e conflitos desnecessários nas redes sociais, principalmente no Facebook. Claro que às vezes é inevitável e avisar sobre algo grave ou Fake News é quase uma obrigação. Mas, se embrenhar de madrugada no post de um amigo com pessoas desconhecidas por que um deles comentou que Che Guevara tinha chulé, não dá para mais mim. Nervermore.

2 – Fazer cada vez mais do Zap um meio de comunicação e envio de mensagens e recados pontuais. E não uma ferramenta onde tentar convencer as pessoas do que penso e como vejo o Mundo e entupir os celulares dos amigos com memes (que eles provavelmente já viram) e links de matérias que a mim interessam, mas não necessariamente a eles.

3 – Parar de explicar para os amigos progressistas que eles não precisam me convencer a ficar do lado deles, porque já estou, e não falar mais que em vez de me mandarem mensagens por Zap ou Bate Papo do Facebook para me convencer de coisas com as quais já concordo, deveriam tentar fazer a cabeça de parentes e amigos conservadores/direitistas. Perdi amigos e amigas nesse processo de lembrar que Jesus pregava para os pecadores, não para os salvos. Da mesma forma que o Diabo tenta os santos, não os perdidos.

4 – Lembrar que mensagens de aniversário padrão de Facebook e curtidas de coraçõezinhos no Instagram não substituem mensagens pessoais ou o bom e velho telefonema. Marcar um café ou uma cerveja também valem. Enfim, não exagerar na impessoalidade com pessoas queridas que merecem de mim mais que emojis.

5 – Menos internet, mais caminhadas na praia. Menos grupos de Zap e mais cafés com amigos. Parece letra de “Epitáfio”, dos Titãs, mas na real é por aí. Vida virtual tem muita coisa boa, facilita muito aspectos diversos da vida do vicente. Mas nada substitui bater papo com os filhos em uma pizzaria ou juntar os amigos para uma cerveja e lembrar histórias da juventude.

Finalizando o texto com frase de John Lennon: “Vida é aquilo que acontece enquanto você está fazendo outros planos”. E, apesar dos pesares, do caos e do obscurantismo no poder, que tenhamos todos um feliz 2019!

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *