Sem categoria

#RespeitemATVU: “Greve dos caminhoneiros atrasou envio de técnico”, diz UFRN

O superintendente de Comunicação da UFRN José Zilmar Alves da Costa afirmou nesta terça-feira (5) que a greve dos caminhoneiros atrasou o envio de um técnico da empresa que detém a exclusividade na manutenção dos amplificadores de potência dos transmissores da TV Universitária.

A TVU está fora do ar desde 31 de maio, quando o sinal analógico foi desligado em Natal (RN). Desde então, 30 bolsistas dos setores de edição, produção e redação da TVU iniciaram o movimento “Respeitem a TVU”.

A mobilização tem como objetivo o estabelecimento total do sinal digital da emissora pública, além do atendimento de pleitos que garantam mais qualidade de trabalho.

O contrato entre a UFRN e a empresa Linear Hitachi, sediada em Minas Gerais, impede que outra empresa faça a manutenção dos transmissores. Ele explica que a Comunica enviou para a revisão os amplificadores de potência, um dos itens dos transmissores, e a equipe técnica da TVU constatou problemas no equipamento:

– O transmissor é composto por uma série de equipamentos no sistema irradiante. E uma parte (do equipamento), os amplificadores de potência, enviamos para a revisão. Na volta, foi constatados problemas pelos técnicos da Comunica e tivemos que chamar o técnico da empresa que tem o contrato de exclusividade na manutenção para saber se o problema é na revisão. Com a greve dos caminhoneiros, a chegada dele atrasou, mas amanhã (quarta-feira) ele estará aqui.

Sobre os demais pontos de pauta dos bolsistas, que incluem melhorias técnicas e estruturais da emissora, além da renovação da frota de veículos, Zilmar informou, ao contrário do manifesto divulgado pelos bolsistas, que todos já vinham sendo encaminhados.

– São questões de processos e aquisição de equipamentos que demoram na universidade. Incluem compras e outros processos, é uma questão de tramitação. Todos os pontos foram respondidos através da pro-reitoria de assuntos estudantis, então não é nenhuma novidade porque estamos encaminhando há muito tempo.

Questionado sobre como via o movimento Respeitem a TVU organizado pelos estudantes, o superintendente classificou como “democrático”:

– É um movimento natural. Todo mundo que se sente no direito de reivindicar e pressionar, encontra um espaço democrático na universidade que não encontra em outros lugares. É liberdade de expressão. O afastamento dos alunos dessas atividades trouxe transtornos, mas contamos muito com eles porque existe uma parceria muito forte desde a criação da Comunica.

 

Saiba Mais: Bolsistas da TVU lançam manifesto e exigem respeito a TV Universitária

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"