CIDADANIA

Rio Grande do Norte registra quase 12 mil casos de covid-19 em 15 dias

Num período de 15 dias, o Rio Grande do Norte registrou 11.922 casos de covid-19. Enquanto em 12 de dezembro o Estado tinha 102.846 casos da doença, em 27 de dezembro já eram 114.768 casos confirmados. O número de óbitos também aumentou, mas em proporção bem menor. Passou de 2.790 mortes em 12 de dezembro para 2.928 até 27 de dezembro, data mais recente do último boletim da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). Ao todo, foram 138 mortes no mesmo período de 15 dias, sendo três num período de 24 horas, entre os dias 26 e 27 de dezembro. As mortes foram registradas nas cidades de Parelhas, Açu e Ipanguaçu.

Dos 167 municípios do Rio Grande do Norte, 76 estão em zona de risco, com taxa de transmissibilidade (Rt) entre 1,03 e 2 e outras 21 cidades seguem em zona de perigo, com Rt maior do que 2. Há ainda 67 municípios em zona segura, com Rt menor do que 1 e três municípios em zona neutra, com Rt entre 1 e 1,03.

Em relação à ocupação de leitos para pacientes com covid-19, nove hospitais estão com taxa de ocupação acima de 70%. A situação mais grave é em Currais Novos (Hospital Regional Dr Mariano Coelho) e no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, onde a taxa de ocupação é de 100%. Em seguida vem o Hospital Tarcísio Maia, em Mossoró, com ocupação de 88,89% dos leitos para pacientes com o novo coronavírus. Na cidade vizinha de Açu (Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos), a situação também é preocupante com ocupação de 87,50% dos leitos. Em seguida, vem o Hospital Regional Lindolfo Gomes Vidal, em Santo Antônio, com ocupação de 83,33%, o Hospital Maternidade Divino Amor, em Parnamirim, com ocupação de 80% dos leitos para pacientes com Covid-19, o Hospital São Luiz, também em Mossoró, com ocupação de 75%, o Hospital Cleodon Carlos de Andrade, em Pau dos Ferros, com ocupação de 72,73% dos leitos e o Hospital Colônia Dr João Machado, em Natal, que está com 70,83% dos leitos para pacientes com covid-19 ocupados. O Hospital de Campanha de Natal também está bem próximo da faixa de segurança, com 70% dos leitos ocupados.

A situação mais grave em relação à taxa de ocupação dos leitos críticos (intensivos e semi-intensivos) para pacientes com covid-19 é no Seridó, que está com 71,4% dos leitos de UTI e semi-intensivos ocupados. Na sequência vem a região Oeste, com 70,4% de ocupação, seguida pela região metropolitana de Natal, com 60,8% de ocupação dos leitos críticos.

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *