TRABALHO

RN aderiu à paralisação nacional fechando agências do Banco do Brasil nesta sexta

Nenhuma agência de varejo do Banco do Brasil abriu nesta sexta-feira (29) em Natal. A paralisação foi deflagrada em reposta à reestruturação que pretende desligar até 5 mil funcionários, acabar com a função de caixa e fechar 361 unidades, cinco delas no Rio Grande do Norte.

Em Natal, o autoatendimento funcionou normalmente. As agências Estilo, que atendem com pré-agendamento, abriram por falta de pessoal do sindicato para piquete.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Bancários do RN Alexandre Candido, o movimento teve grande adesão dos trabalhadores, incluindo alguns municípios do interior, e contou com a compreensão dos clientes, mesmo os que foram surpreendidos com a parada ao chegarem aos bancos.

“A gente não teve movimento fura-greve. Os funcionários não foram às agências para tentativa de entrada, embora a gente saiba que uma parte está em home office e aí a gente não tem controle. Mas o movimento foi bom e sem conflito com a população”, contou o dirigente sindical.

“Num momento que a gente precisa de mais gente pra trabalhar, o banco tá tirando e a população agradeceu pelo movimento até”, completou.
Os bancários ainda realizaram um ato público em frente à agência da avenida Rio Branco, no Centro de Natal.

O estado perderá pelo menos três agências: as unidades da avenida Amintas Barros, em Natal; da Cohabinal, em Parnamrim; e Santa Luzia, em Mossoró. Outras três foram escolhidas para serem transformadas em postos de atendimento: Guamaré, Alto do Rodrigues e Jardim do Seridó.

Também deve ser fechado o posto de atendimento de Tangará e outro em Natal, localizado no TRT, que há quatro anos era também uma agência completa. Há uma paralisação marcada para a quinta-feira (14) acordada entre os sindicatos do RN, do Maranhão e de Bauru, em São Paulo.

Os trabalhadores acreditam que a contenção gerada com a reestruturação anunciada nada tem a ver com a saúde financeira da instituição, mas sim com o plano de privatização.

No acumulado de 2020, o Banco do Brasil reportou um lucro de R$ 9,3 bilhões. A economia líquida anual estimada com despesas administrativas gerada por estes movimentos, exceto o impacto dos planos de desligamento incentivado voluntário, é de R$ 353 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhão até 2025.

Entre 2016 e 2019, o lucro líquido ajustado do BB apresentou crescimento de 122%, passando de R$ 8,033 bilhões em 2016 para R$ 17,848 bilhões em 2019. No mesmo período, o banco fechou 19% das agências e reduziu o quadro de funcionários em 16%.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *