CIDADANIA

RN orienta municípios a vacinarem adolescentes sem comorbidades e Natal mantém público suspenso

Após o Ministério da Saúde recomendar que a vacinação contra a covid-19 de adolescentes sem comorbidades seja suspensa, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sesap) do Rio Grande do Norte publicou nota no começo da tarde desta quinta-feira (16) anunciando que vai manter a deliberação tomada anteriormente em conjunto com os municípios. A orientação continua sendo imunizar aqueles de 12 a 17 anos de idade, com ou sem comorbidades.

Diante da discordância, Natal, que já suspendeu pela manhã a vacinação nesse público, decidiu seguir a orientação do governo federal.

A Sesap esclarece ainda que vai aguardar um posicionamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), requisitado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a respeito de eventuais mudanças com relação à aplicação dos imunizantes nos menores de idade, como sinalizou o Ministério da Saúde.

“A Sesap mantém seu apoio ao processo de vacinação, a confiança na segurança dos imunizantes disponíveis e nas experiências científicas que garantem a eficácia para esse público. É público e notório que o avanço da vacinação vem trazendo resultados substanciais no RN, salvando diversas vidas e evitando internações na rede de saúde.”, diz comunicado.

O próprio Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que participa das decisões sobre os rumos do Plano Nacional de Imunizações, divulgou nota na quarta-feira (15) afirmando que a “vacinação de todos os adolescentes é segura e será necessária”.

Em entrevista coletiva, o ministro Marcelo Queiroga reclamou da velocidade da vacinação: “Estados e municípios iniciaram antes, até no mês de agosto. A vacina que era pra começar ontem nos adolescentes, sabe quantos adolescentes vacinados já tem? Quase 3 milhões e 500 mil. Como é que nós conseguimos coordenar uma campanha nacional de imunização dessa forma?”.

Segundo ele, os vacinadores aplicaram outros tipos de imunizantes disponíveis, enquanto apenas a Pfizer está autorizada pela Anvisa para esse público. Para Queiroga, deve continuar apenas a vacinação dos jovens com deficiência permanente, com comorbidades e os que estão cumprindo medida socioeducativa de privação de liberdade.

De acordo com a plataforma RN + Vacina, 8.149 adolescentes já se vacinaram no Rio Grande do Norte.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Isabela Santos
Isabela Santos é jornalista e repórter da agência Saiba Mais