+ Notícias

RN registrou em março a pior semana da pandemia e confirma 1.652 novos casos de covid nas últimas 24h

Da quarta (7) para esta quinta (8), o Rio Grande do Norte registrou em seu sistema 1.652 novos casos de covid-19 e mais 20 mortes, sendo dez nas últimas 24 horas, nas cidades de Natal (4), Mossoró (1), São Gonçalo do Amarante (1), João câmara (1), Assu (1), Brejinho (1) e Angicos (1).

Enquanto na quarta-feira a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) registrou 201.737 casos do novo coronavírus, nesta quinta, o número já passou para 203.389. Já as mortes por covid-19 passaram de 4.786 para 4.806, 20 a mais, segundo os dados disponibilizados no Sistema de Regulação do Rio Grande do Norte.

O dias que sucederam entre 21 e 27 de março, a 12ª semana epidemiológica, foram os que apresentaram a maior quantidade de óbitos desde o início da pandemia. Foram 293 pessoas que perderam a vida em decorrência da covid-19. Até então, a pior semana tinha sido registrada entre os dias 28 de junho a 4 de julho de 2020, a 27ª semana epidemiológica.

Com os dados, retirados do Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde), é possível constatar que o fim do decreto nº 30.419 que havia sido assinado pelo Governo do Estado e prefeituras, inclusive a de Natal, chegou ao fim logo depois da pior semana que registrou o maior número de mortes por covid-19. O antigo decreto era mais restritivo e permitia, entre outras coisas, o funcionamento apenas de atividades essenciais.

“Não faz o menor sentido reabrir as atividades quando temos os piores dados da pandemia. Nessa semana em que o Rio Grande do Norte teve esse alto número de mortes, passamos de algo mais brando e com toque de recolher para algo mais rígido e depois voltamos pra situação anterior. O decreto atenuou, mas não resolveu a situação. Pode ter um paciente na fila, não há o que comemorar, o fato de haver fila é uma aberração”, critica o José Dias do Nascimento Júnior, professor do departamento de Física da UFRN e membro do Comitê Científico do Nordeste.

O decreto estadual que segue valendo até 16 de abril e de nº 30.458 traz, entre outras coisas, o toque de recolher entre as 20h e 6h da manhã do dia seguinte.

Imagem: reprodução Conass
Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *