TRANSPARÊNCIA

RN tem 147 pacientes internados em estado crítico e 48 mortes confirmadas por Covid-19

O Rio Grande do Norte já tem 147 pacientes internados em estado crítico. Desses, 72 já foram diagnosticados com a Covid-19 e o 75 seguem considerados suspeitos de terem sido infectados pelo novo Coronavírus.

A taxa de ocupação de leitos para casos críticos – UTI e assistência ventilatória – também é preocupante. Segundo o secretário de estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, a maior parte destes leitos está ocupada, principalmente em Natal, Pau dos Ferros, Mossoró e Região Oeste.

O número de óbitos registrados no Estado potiguar subiu para 48 em 21 municípios do RN. Também aumentaram o número de casos confirmados, agora são 857. Ao todo, a Sesap já notificou 4.626 pacientes em 157 cidades do Estado.

De acordo com os órgãos de saúde o Coronavírus está circulando em todos os 167 municípios potiguares.

Hoje (28) marca um mês do primeiro óbito em consequência da Covid-19 no RN, ocorrido em Mossoró, onde os leitos estão praticamente todos ocupados, inclusive na rede privada. Naquela cidade, de acordo com Cipriano Maia, o Governo do RN finaliza a contratação do Hospital São Luiz para ofertar leitos de UTI e a instalação das novas UTIs do Hospital Regional Tarcísio Maia.

O Governo também dá continuidade para instalação de novos leitos de UTI para atender casos da Região Metropolitana de Natal, com estruturas hospitalares em São Gonçalo do Amarante e Parnamirim, além do Hospital da Polícia Militar em Natal e do contrato com a Liga Norte-Riograndense contra o Câncer.

Cipriano Maia chama atenção para que a população mantenha as medidas de isolamento, distanciamento social e o uso de máscaras sempre que sair de casa. “As pessoas que procuram os serviços bancários devem ter atenção redobrada, usar máscara e higienizar a mãos com muito cuidado, porque há grande risco de contaminação devido às filas e aglomerações. Além do risco individual, o cidadão pode levar o vírus para casa, contaminar parentes e outras pessoas e provocar óbitos”, alertou.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *