DEMOCRACIA

Secretário-executivo do Consórcio Nordeste exerce direito concedido pela Justiça do RN e não responde a perguntas na CPI da Covid

O secretário-executivo do Consórcio Nordeste Carlos Gabas exerceu o direito concedido pela Justiça do Rio Grande do Norte de permanecer calado durante depoimento a CPI da Covid na Assembleia Legislativa e não respondeu a nenhuma pergunta dos parlamentares que compõem a comissão.

Ex-ministro da Previdência do governo Dilma Rousseff, ele permaneceu no auditório por pouco mais de meia hora e, por orientação da defesa, já que foi convocado na condição de investigado, afirmou que não responderia as perguntas, direito que a própria Constituição Federal lhe garante:

– Não responderei a nenhuma pergunta e exercerei meu direito ao silêncio em sua totalidade”, disse o secretário-executivo do Consórcio Nordeste após primeira pergunta feita pelo relator da CPI, deputado Francisco do PT.

Ainda na terça-feira (5), o desembargador do TJRN João Rebouças concedeu decisão liminar favorável ao pedido de Carlos Gabas, que viajou a Natal após convocação da CPI, instalada em agosto deste ano para investigar 12 contratos firmados pelo Governo do Rio Grande do Norte durante a pandemia.

O depoimento de Gabas na CPI estava relacionado ao contrato dos respiradores comprados pelo Consórcio Nordeste, mas que nunca foram entregues aos 9 estados. No caso do Rio Grande do Norte, foram pagos R$ 4,8 milhões por 30 respiradores.

O detalhe é que foi o próprio Carlos Gabas quem acionou a polícia civil da Bahia diante da demora na entrega dos equipamentos. Um inquérito foi aberto, os empresários que lesaram os Estados foram presos e o processo tramita no Superior Tribunal de Justiça.

Como o depoente adiantou que ficaria calado, o presidente da CPI, deputado Kelps Lima (Solidariedade), liberou a presença de Gabas da sessão e, na sequência, os deputados de oposição passaram a ler as perguntas que fariam ao secretário-executivo do Consórcio Nordeste.

No auditório da ALRN, além de membros da comissão da CPI da Covid do Senado Federal, participaram da sessão os senadores Eduardo Girão (Podemos/CE), Styvenson Valentim (Podemos/RN), além de assessores parlamentares.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"