DEMOCRACIA

Senado aprova inscrição de Paulo Freire no Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria

A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Federal aprovou por unanimidade em reunião realizada durante a manhã desta quinta-feira (25), o Projeto de Lei do Senado n° 148, de 2017, de autoria da então Senadora Fátima Bezerra (PT/RN) e relatoria do Senador Paulo Rocha (PT/PA), que inscreve o nome de Paulo Freire no Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria.

O projeto ainda segue para a Câmara dos Deputados e, se aprovado, para a sanção ou veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No ano em que o centenário do nascimento de Paulo Freire é celebrado em diversos países, a aprovação do PLS 148/2017 se revela mais do que oportuna, pois representa um contraponto aos espúrios ataques desferidos pela extrema-direita contra a vida e a obra de Paulo Freire, fazendo justiça ao seu inestimável legado.

Freire é um dos brasileiros mais homenageados internacionalmente, tendo conquistado 41 títulos de Doutor Honoris Causa, de universidades como Harvard, Cambridge, Oxford, dentre outras prestigiadas instituições. Em 1986 foi agraciado com o Prêmio UNESCO da Educação para a Paz, e em 1992 com o Prêmio Andres Bello de Educador do Continente, da Organização dos Estados Americanos. Através da Lei nº 12.612, de 13 de abril de 2012, Paulo Freire foi merecidamente declarado Patrono da Educação Brasileira.

Além de uma vasta obra materializada em diversos livros, dentre os quais citamos “Educação como prática da liberdade” (1967), “Pedagogia do Oprimido” (1968), “Pedagogia da Esperança – Um reencontro com a pedagogia do oprimido” (1992) e “Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa” (1997), Paulo Freire nos deixou também um imenso legado através da sua práxis, da sua existência como educador e como pensador.

Um exemplo notável da práxis freiriana foi o trabalho de alfabetização de adultos desenvolvido na cidade de Angicos, no interior do Rio Grande do Norte, na experiência que ficou conhecida como “As quarenta horas de Angicos”.

Como destacou o Senador Paulo Paim (PT/RS) durante a discussão da proposição legislativa, “Paulo Freire dedicou sua vida e sua obra à causa dos oprimidos, dos desvalidos, dos esfarrapados do mundo, sempre esperançando, sempre combatendo a feiura da opressão e lutando em defesa da boniteza da comunhão, da liberdade, da democracia, da cidadania”.

Paulo Reglus Neves Freire nasceu no dia 19 de setembro de 1921, em Recife, e faleceu no dia 2 de maio de 1997, em São Paulo. Foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores, em 1980, e Secretário de Educação da cidade de São Paulo na gestão da prefeita Luiza Erundina, entre 1989 e 1991.

Estes que tentam atravancar o caminho da democracia e da justiça social, eles passarão. Paulo Freire permanecerá sempre presente.

Leia mais matérias sobre Paulo Freire publicadas no nosso portal:

Saiba Mais: Com inauguração de escultura, alunos do programa de alfabetização de Paulo Freire se reencontram 58 anos depois

Saiba Mais: Palavras de Paulo Freire viram arte e ganham o mundo pelas mãos do ativista Ai Weiwei

Saiba Mais: Em 1963, Angicos colocava Paulo Freire no New York Times

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo