CIDADANIA

Sesap confirma instabilidade no sistema de notificação há 10 dias e contesta relatório do Lais sobre Carnatal

Há, pelo menos, dez dias o sistema federal do Ministério da Saúde utilizado por municípios de todo o país para registrar os casos de covid-19 está com problemas e não permite a atualização dos dados. Com isso, qualquer análise dos casos confirmados e óbitos por covid-19 no período torna-se inviável diante do apagão de informações e subnotificações. A informação foi confirmada por Kelly Lima, Coordenadora de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap/ RN), por telefone, na manhã deste terça (21), à Agência Saiba Mais.

Nós publicamos diariamente o boletim epidemiológico com os dados relativos à covid. Mas, há dez dias ele está com inconsistência e temos reiterado isso no rodapé exatamente porque o Ministério da Saúde sofreu um ataque hacker e os sistemas de informação de âmbito federal não estão funcionando a contento. Os municípios não estão conseguindo notificar da forma que deveriam e claro que não haverá mudanças no cenário epidemiológico porque os municípios não conseguem notificar!”, esclareceu.

A afirmação da representante da Sesap bate de frente com o relatório divulgado pelo Laboratório em Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Lais/UFRN), que aponta para uma tendência de queda no número de casos e óbitos por covid-19 depois do Carnatal, realizado entre os dias 9 e 12 de dezembro. Aliás, o próprio site do Lais, na manhã desta terça (21), estava fora do ar.

 

Reprodução do site do Lais

No momento, os únicos casos que continuam sendo notificados nos boletins são aqueles analisados pelo GAL (Gerenciamento de Ambiente Laboratorial) do Laboratório Central (Lacen). A Sesap também distribuiu mais de 280 mil testes rápidos do tipo swab para que fossem utilizados pelos municípios nesse período. No entanto, as secretarias de saúde não têm conseguido registrar os resultados no e-Sus, que é o sistema de notificação do Ministério da Saúde. Kelly também criticou a análise dos possíveis casos de covid-19 apenas dez dias depois do Carnatal, uma avaliação que ela classificou como precipitada.

“Esses dados não estão sendo computados, então com certeza não vai ter aumento no número de casos! A Sesap julga como muito precoce fazer qualquer análise do Carnatal hoje. Estávamos esperando o pós Natal para fazer essa análise porque quem se contaminou no Carnatal são pessoas, provavelmente, jovens que não vão desenvolver sintomas. Mas, agora, nesse período de Natal, eles vão estar em contato com as famílias e só depois disso é que teremos, provavelmente, os pedidos de leitos. Por isso que a Sesap tá se preparando para isso”, avaliou a Coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap.

O professor do Departamento de Física da UFRN, José Dias do Nascimento Júnior, que também é responsável pelos gráficos e projeções relacionadas à covid-19 no Comitê Científico do Nordeste, criticou o relatório por dar a impressão de uma segurança que não temos.

“Dez dias não é tempo suficiente para doença a aparecer. Mesmo depois de se manifestar no paciente, ainda é preciso um tempo para que a informação entre no sistema, por isso, existe uma recomendação que se espere, pelo menos, quinze dias. Além disso, temos o apagão na base nacional de dados, não há segurança para afirmar nada nesse momento. É preciso prudência com qualquer afirmação desse tipo, porque você pode estar vendendo uma segurança que não existe. Outra coisa que precisa ser considerada, é que vários lugares no mundo estão se fechando por causa da Ômicron”, avalia José Dias.

Até o início da tarde desta terça, o sistema federal para notificação dos casos de covid-19 continuava com instabilidades. De acordo com um comunicado emitido pelo Ministério da Saúde, a previsão é que o sistema volte ao normal até o fim do dia.

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo