CIDADANIA

Sob ameaça, orla de Natal é tema de seminário na UFRN

O desenvolvimento e a gestão da orla de Natal pelo poder público é o tema do seminário “Orla de Natal em Debate”, promovido pelo Fórum de Direito à Cidade, projeto de extensão ligado aos cursos de Arquitetura e Urbanismo e de Gestão de Políticas Públicas da UFRN. O evento começa nesta quarta-feira (24), a partir das 19h, e segue até o próximo sábado, no auditório do Centro de Tecnologia (CTEC) e no auditório da Biblioteca Zila Mamede. Confira programação abaixo.

Coordenadora do Fórum de Direito à Cidade, a professora Ruth Maria da Costa Ataíde explica que o objetivo principal do seminário é reunir propostas para incluir no debate de revisão do Plano Diretor de Natal, processo já iniciado pela Câmara Municipal:

– A ideia é que do evento saiam proposições para a discussão da revisão do Plano Diretor, qual a contribuição desses segmentos para o plano diretor. A paisagem de Natal é um patrimônio de todos. Não dá pra pensar em fazer intervenção na orla de Natal comparando Natal com qualquer outra se for para se assemelhar à outra. Vemos muito essa discussão: “porque uma orla é assim e Natal não pode ser ?” Ora, porque Natal tem um perfil próprio”, comentou.

Com extensa programação de debates, mesas-redondas e discussões em Grupos de Trabalho, a ideia é mostrar que o desenvolvimento da Orla da capital segue uma dinâmica humana e não tem relação com a narrativa divulgada pela mídia tradicional sobre o tema:

– O seminário também mostra que a narrativa da mídia não atende aos objetivos do Fórum porque os interesses imobiliários se sobrepõe aos interesses da população e da comunidade residente da orla, que estão ali assentadas há mais de 100 anos.

Na mesa de abertura do seminário o público terá contato com experiências recentes nas orlas urbanas de Recife e Fortaleza. O debate “Orla marítima, negócios imobiliários e o reverso: reflexões sobre os impactos socioambientais” – casos de Recife e Fortaleza terá a participação da advogada Fernanda Carolina Vieira da Costa, especialista em planejamento e uso do solo urbano. Ela é vice-diretora do Instituto Brasileiro do Direito Urbanístico (IBDU) e falará sobre a ocupação do Cais Estelita, em Recife.

Para a mesma mesa foi convidado o arquiteto cearense Marcelo Mota Capasso, que falará sobre intervenções recentes na orla de Fortaleza.

Os grupos de trabalho foram definidos por regiões da orla marítima natalense e serão divididos entre Ponta Negra; Via Costeira; Areia Preta e Mãe Luíza; Praia do Meio, Santos Reis e Rocas; e Redinha.

Ruth Ataíde afirma que, sempre que começam as discussões sobre o plano diretor de Natal, a orla fica sob ameaçada.

– As ameaçadas à orla de Natal estão sempre presente. Sempre que se fala em revisar o plano diretor o buxixo acontece com essas ameaças. Já ouvi de representantes da iniciativa privada que eu poderia preservar a memória da cidade comprando um cartão postal. Desde 1994 temos reforçado a convicção que a paisagem é sócio, cultural e ambiental que ali se inseri. Não é apenas a paisagem ambiental. O Fórum entende que deve pautar seu trabalho nessa perspectiva”, afirmou.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *