TRANSPARÊNCIA

Sob gritos de “tapetão” e “golpista”, Beto Rosado é diplomado

Anúncios

O deputado federal Beto Rosado (PP) foi vaiado pelos militantes do PT que assistiam a cerimônia de diplomação no teatro Riachuelo e aplaudido pela ala mais conservadora da plateia. Ao lado do pai e da filha, ouviu gritos de “tapetão”, “golpista” e “devolva o mandato de Mineiro” no momento em que recebeu o diploma.

Primeiro suplente da coligação 100% RN, Beto Rosado foi o 9º parlamentar mais votado e só apareceu entre os eleitos na véspera da diplomação, quando o ministro do TSE Jorge Mussi, em decisão monocrática, reviu o próprio entendimento que tinha antes da eleição sobre a validação dos votos do candidato Kericlis Ribeiro.

Com os votos computados, a coligação 100% RN ultrapassou a coligação Do lado Certo, tirando o mandato de Fernando Mineiro, terceiro parlamentar mais votado, e elegendo Beto Rosado.

Além da família, a ex-governadora Rosalba Ciarlini, tia de Beto Rosado, também assistiu a solenidade.

Antes da diplomação, Beto Rosado conversou com a imprensa e garantiu que não assumirá cargo no governo Bolsonaro em 2019, possibilidade que abriria espaço para o senador José Agripino Maia, alvo de cinco denúncias no Supremo Tribunal Federal, assumir um mandato de deputado federal e manter o foro privilegiado.

– Nenhuma (chance), afirmou.

Questionado sobre um acordo nos bastidores da Justiça Eleitoral envolvendo Agripino Maia, o parlamentar riu e ironizou:

– Acho que José Agripino nem está sabendo disso.

Saia justa

 Ao tentar cumprimentar a colega mossoroense Isolda Dantas, eleita e diplomada deputada estadual, Beto Rosado foi chamado novamente de “golpista” e não teve reciprocidade no cumprimento:

– Virei a cara e chamei ele de golpista. Falei que era o segundo mandato que eles nos roubavam. O primeiro foi o da presidenta Dilma Rousseff (Beto Rosado votou a favor do impeachment) e agora o mandato de Mineiro”, disse Isolda.    

 

 

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *