OPINIÃO

Sobre vacinas comunistas e músicas terroristas

Anúncios

Eu havia lido nesta semana que a Rússia anunciou não apenas a descoberta de uma vacina eficiente para cura do Covid-19 como uma vacinação em massa da população já em outubro. E antes havia lido sobre a promissora vacina criada pelo laboratório chinês Sinovac Biotech que está sendo desenvolvida com o Instituto Butantã, de São Paulo, para aplicação em breve.

Mas, foi na fila da padaria aqui na rua que percebi o impacto dessas informações para boa parte da população. Duas senhoras conversando na fila, na minha frente:

– Mulher, você viu que a China está com uma vacina que vai testar aqui no Brasil?…

– Ah, a gente não pode confiar nisso não. É uma vacina comunista.

Como eu estava de máscara, ninguém percebeu o sorriso que não contive ao imaginar a vacina, ampola e seringa em riste, lendo Marx e invadindo ao lado de Lênin, Trotsky e o Exército Vermelho, o Palácio do Czar.

A imagem é cômica, claro, mas o que tem por trás do comentário das mulheres, não é. A falta de conhecimento quase inocente e um medo vago de coisas como “comunismo” são frutos de um sistema de desinformação, fake news e obscurantismo. Coisa maquiavélica mesmo, como já sabemos do Gabinete do Ódio, por exemplo.

Tornar “comunista” tudo que seja adversário ou que a pessoa não goste é uma estratégia já manjada e que, de maneira impressionante, ainda funciona. Nesse balaio de gato de comunistas podem estar Stalin, Fidel, PT, Obama, Felipe Neto, Chico Buarque. Reinaldo Azevedo, sua tia que criticou Bolsonaro, o vizinho que torceu contra o Brasil na Copa. Tudo comunista, incluindo eu e você que lê esse texto, se assim  definir ou o Gabinete do Ódio ou a estratégia de demonização de adversários e de quem pensa, digamos, diferente.

Lembrei que há uns anos em uma discussão de Facebook na postagem de um amigo sobre MPB e engajamento, uma pessoa registrou a frase “Aquelas músicas terroristas”, se referindo às canções de Chico, Caetano e Gil. Na lógica do “debatedor”, se cantavam contra o Governo Militar, logo, eram comunistas, e em sendo comunistas, então, também eram terroristas, e suas músicas idem.

Voltando à vacina, é nítido que líderes populistas e ineptos como Trump e Bolsonaro politizaram até mesmo a criação de uma vacina que significaria a cura do Coronavírus e o princípio de retorno real às atividades econômicas. Ambos tem pavor que as vacinas chinesas e russas sejam usadas com eficácia primeiro que as “capitalistas”. Lamentável. Mas, é o que temos para hoje.

Outro bordão da Direita aloprada, tantas e tantas vezes usado no Brasil, era o “vai para Cuba” (afinal, lá é comunista e comunistas devem morar em um país comunista, na ótica deles). Ah, Cuba conseguiu estabilizar a pandemia por lá e retomou às atividades econômicas e a uma certa normalidade. Coisa de comunista, suponho.

 

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *