TRANSPARÊNCIA

UFRN encontra indícios de irregularidade e segue com investigação de plágio contra reitora da Ufersa, Ludimilla Oliveira

Desde, pelo menos, o dia 10 de setembro, autoridades da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) receberam denúncia de que a tese de doutorado da atual reitora da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), Ludimilla Oliveira, contém plágio. A denúncia foi recebida pela Ouvidoria e encaminhada ao Diretor do Centro de Tecnologia, autoridade universitária competente para apurar o fato. Em um prazo de dez dias, caso fosse constatado indício de irregularidade, seria aberta Sindicância ou Processo Administrativo Disciplinar. Caso contrário, a denúncia seria arquivada. Em contato com a assessoria de comunicação da reitoria da UFRN, a Agência Saiba Mais constatou que a investigação da denúncia teve prosseguimento no Centro de Tecnologia, o que indica a existência irregularidades.

A reitora da Ufersa, Ludimilla Oliveira, defendeu a tese de doutorado “DE REPENTE, TUDO MUDOU DE LUGAR: Refletindo sobre a metamorfose urbana e gentrificação em Mossoró-RN”, no ano de 2011, junto ao Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFRN. Segundo denúncia apresentada com EXCLUSIVIDADE pela Agência Saiba Mais, das 195 páginas da tese de doutorado, pelo menos 16 apresentavam plágio, cópias inteiras ou parciais de textos de outros autores sem que houvesse citação da fonte.

Apesar de ter ficado em terceiro lugar nas eleições internas da comunidade acadêmica com 18,33% dos votos, Ludmilla Oliveira foi nomeada reitora da UFERSA em 21 de agosto durante uma rápida passagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por Mossoró. O primeiro colocado nas eleições, o professor Rodrigo Codes, obteve 37,55% dos votos da comunidade da Ufersa.

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *