CIDADANIA

Vacinação: Aglomeração provocada por erro na logística da prefeitura de Natal gera revolta

A psicóloga Marília Noronha chegou às 6h30 deste sábado (24) no ponto de vacinação do shopping Via Direta para receber a 2ª dose da Coronavac. Ela havia tomado a primeira dose em 26 de março e aguardava ansiosa a chegada da vacina para completar a imunização.

Marília era uma das milhares de natalenses apreensivas desde o dia em que a prefeitura de Natal anunciou a suspensão da vacinação por falta de doses. A secretaria municipal de Saúde descumpriu as recomendações do Ministério da Saúde e usou como primeira dose as vacinas que o Governo Federal orientou que fossem armazenadas para serem aplicadas como a última dose.

A expectativa em finalmente ser imunizada por completo virou um drama durante as 5 horas e meia em que permaneceu na fila. A começar pela falta de informação e sinalização para idosos e os profissionais de saúde que não sabiam sequer se ficariam em fila única ou separados, em grupos diferentes:

Foi muita confusão porque não houve um planejamento ou organização prévia da secretaria de saúde. As pessoas chegaram muito cedo, até porque estavam com medo de que faltasse doses de novo. Não tinha ninguém para receber as pessoas nem para orientar ninguém. As próprias pessoas resolveram se organizar em fila. Um segurança do Via Direta chegou a organizar todo mundo em fila única, mas depois foram formadas filas diferentes, uma com os profissionais de saúde e duas com idosos”, afirmou.

Em contato por telefone com a agência Saiba Mais após deixar o shopping Via Direta imunizada, Marília contou que viu vários idosos passando mal em razão do calor. Ela também criticou a falta de fiscalização dos profissionais de saúde que estavam aplicando as vacinas. Como anunciado anteriormente pela prefeitura, hoje seriam vacinadas pessoas que receberam a 1ª dose até 27 de março. No entanto, segundo a psicóloga, ninguém conferia os cartões de vacina.

“Os profissionais que apareceram a partir das 8h30 não estava orientando nem consultando o cartão de vacina. Era para conferir. As pessoas não tinham acesso à informação. Eu mesma fiquei numa fila que, só muito tempo depois, vi que estava errada”, disse.

Para Marília Noronha, que é psicológica e atua na área de assistência social do município, responsabiliza a prefeitura de Natal pela confusão:

– Foi tudo muito atropelado, muita gente se prejudicando. Houve um erro na logística, no planejamento e na organização. Até porque já era esperado que as pessoas fossem até os locais. A informação que é divulgada na televisão não chega a todo mundo. E as pessoas foram achando que iam se vacinar. Eles tinham que prever isso”, desabafou.

Além do Via Direta, a prefeitura de Natal abriu o drive do ginásio Nélio Dias, na Zona Norte, para a vacinação do grupo que estavam com a segunda dose atrasada.

Prefeitura responsabiliza população

Procurada pela agência Saiba Mais, a secretaria municipal de Saúde enviou uma nota de dois parágrafos responsabilizando as pessoas que foram tomar vacina fora do grupo anunciado pela prefeitura que deveria ser vacinado.

– A Secretaria de Saúde de Natal verificou que muitas pessoas que foram ao Via Direta e ao Nélio Dias para receber a segunda dose da vacina Coronavac nesta manhã se vacinaram após o dia 27 de março. Como divulgado neste final de semana a SMS Natal está vacinando com a segunda dose do imunizante apenas o público que se vacinou até 27.03”, diz o comunicado.

A nota prossegue informando que a vacina da Oxford produzida em parceria com o laboratório Astrazeneca está sendo aplicada “neste final de semana idosos com 62 anos e a partir de segunda-feira, idosos com 61 anos”, informou a SMS.

 

 

 

Clique para ajudar a Agência Saiba Mais Clique para ajudar a Agência Saiba Mais
Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *