DEMOCRACIA

Vereador do PSL chama própria legenda de “ditadura partidária” em Natal

Se no plano nacional o PSL é um partido sem rumo, no Rio Grande do Norte a sigla também está perdida. E pior: vai diminuir de tamanho. 

Depois que o deputado estadual, coronel Azevedo, anunciou que vai deixar o Partido, agora foi a vez do vereador de Natal Cícero Martins declarar que planeja sair do PSL.

A informação foi divulgada pela jornalista Daniela Freire.

Tanto Azevedo como Cícero, no entanto, seguem rezando a cartilha do presidente da República Jair Bolsonaro.

 Mesmo com mandatos, os dois não têm espaço no PSL. Em entrevista recente a uma rádio local, Cícero Marins afirmou que “o PSL é um quartel” e promove uma “ditadura partidária”.

Segundo informou o parlamentar conservador, só os militares têm direito à opinar e a indicar cargos na legenda.

Caso as saídas do coronel Azevedo e de Cícero Martins se concretizem, o PSL terá apenas dois parlamentares com mandato no Rio Grande do Norte: a vereadora de Natal Eleika Bezerra, e o deputado federal general Eliézer Girão, homem-forte do PSL no Estado.

Apesar da intenção declarada de deixar a sigla, Azevedo e Martins não informaram para qual legenda migrarão.

Artigo anteriorPróximo artigo
Rafael Duarte
Jornalista e autor da biografia "O homem da Feiticeira: A história de Carlos Alexandre"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *