+ Notícias

Walfredo Gurgel suspende visitas temporariamente por causa do aumento de casos de covid-19

As visitas no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel estão suspensas temporariamente. A decisão foi da direção da unidade de saúde diante do aumento de casos de covid-19 e das altas taxas de ocupação dos hospitais. O objetivo é evitar que o vírus se espalhe pela unidade hospitalar, protegendo pacientes, familiares e profissionais.

O Walfredo Gurgel já segue todos os protocolos de segurança recomendados, e no caso específicos de entrada de visitantes, segue a Nota Informativa nº 01/2020, elaborada pela Secretaria Estadual da Saúde Pública (Sesap) em conjunto com a Secretaria de Saúde de Natal, ainda no mês de maio do ano passado.

O número de hospitais com leitos críticos (semi-intensivos e de UTI) esgotados para pacientes com covid-19 baixou de dez para oito na noite desta segunda (22). Saíram da lista o Hospital de Campanha de Natal, que agora está com 90% de taxa de ocupação e o Hospital Regional de João Câmara, que baixou a ocupação para 80%. A taxa geral de ocupação no estado é de 83,21% e de 88,36% da Região Metropolitana de Natal. A Região Oeste está com 76,5% e o Seridó, com 77,1% dos leitos críticos ocupados.

O Rio Grande do Norte tem 160.752 casos confirmados e outros 79.337 suspeitos. Além disso, já são 3.498 mortes e 682 óbitos suspeitos de covid-19. O estado ainda acumula 65.815 casos de Síndrome Gripal Não Especificada, que são os casos suspeitos que não foram confirmados porque não foi possível fazer exame laboratorial para confirmar o diagnóstico.

Oito hospitais estão com leitos críticos esgotados:

Hospital Giselda Trigueiro;

Hospital Manoel Lucas de Miranda (Guamaré);

Hospital Maternidade do Divino Amor (Parnamirim);

Hospital Regional Alfredo Mesquita (Macaíba);

Hospital Regional Tarcísio Maia (Mossoró);

Hospital Regional Helio Morais Marinho (Apodi);

Hospital Regional Lindolfo Gomes (Santo Antônio);

Hospital Universitário Onofre Lopes.

Imagens: Reprodução Lais/ UFRN
Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *